Lapis(o)

Não vou pedir ao tempo o que ele não pode me dar. Não vou pedir um momento que não possa voltar. Assim como e com a mesma força do vento, eu vou… Correndo com meus altos e baixos, minhas fúrias e minhas calmarias. Mas não vou carregar coisa qualquer que aparecer pela frente, como faz em seus momentos de histeria. Carrego o que possa me ajudar a chegar naquele lugar, o que me faça evoluir e o que me traga mais pontos fortes. Quero adentrar ouvidos, suspirar corações, quero passar diversas vezes nas mentes… Sim! Quero ser inesquecível, não para um mundo que esqueceu… O que mesmo? Enfim, inesquecível para um mundo meu! “Ah, look at all the lonely people… Ah, look at all the lonely people”.

Não vou ouvir do tempo o que um dia ele vai mostrar. Não vou ouvir dos momentos, quais poderão realmente marcar… Momentos que poderão realmente marcar… Quando realmente são bem aproveitados, são ótimos de relembrar. Quando foram vivenciados de má maneira por um outro você, um certo “eu desconhecido”, não são nem perto de… De que mesmo? Ah! A quem quero enganar? Eu sei o que é. Sempre que me calo e tapo minhas censuras pessoais, o resultado é “quase” sempre o mesmo… A casa sempre ganha! No fundo… Eu invejo Jacob Mollins, que perdeu toda sua memória e não lembra mais quem foi. Só sabe o que será e o que quer ser. Só que no meu caso, eu não gostaria de perder toda memória… Só umas partes…

Mais uma vez o curso do rio dos pensamentos foi desviado… Não é um poema… Não é uma poesia… Não é uma filosofia… São pensamentos! Sem uma certa regra. Quando escrevo coisas que não falaria, só pensaria em dizer… Eis que, aqui estão parte das de agora. E quando toca aquela canção… Eis que é o momento que não escrevo nada, pois meus olhos se fecharão em 10… 9… 8… 7… 6… 5… 4… 3… 2… 1…

♪ Remembering, everything about my world and when…

Anúncios

Um pensamento sobre “Lapis(o)

  1. Não vejo lucro em perder a memória. Os momentos bons e ruins pelos quais passamos ao longo da vida, é que moldam quem somos. São as dores que sofremos, que nos fazem crescer, nos fazem mais forte. São as alegrias que vivemos, que nos fazem ter força pra aguentar nossas dores, e seguirmos em frente.
    Me arrepia, pensar em esquecer tudo… pensar que eu deveria ter que passar por tudo de novo, pra ser quem sou agora. Apesar de que, perdendo a memória, eu não lembraria de nada, seria tudo novo.
    Mas eu não apagaria nenhuma parte, nem mesmo as piores.

Os comentários estão desativados.