Dueto#1 – Sur Real

UEm qual capítulo estou do meu livro?
NEm qual página foi que eu te perdi entre os meus personagens?
UOu será que está uns cinco, seis, sete capítulos à frente?
NPode ser neste parágrafo, pode ser no epílogo… Onde você se escondeu?
UNão sabes a falta que faz mesmo eu sabendo que ainda não te encontrei
NMesmo te tendo entre cenas que eu mesmo desconheço…
UFuturos Dejavus, presentes desejos passados entre as veias
NPredominando o desejo de te ter entre as minhas veias, saciando meu anseio
UPercorrendo meu corpo como um veloz carro de Fórmula 1
NDesviando em minhas curvas, como um motorista desgovernado
USó tenha cuidado pra não explodir em meu coração
NE, não tenha como desviar, que venha intenso, venha no timbre que minha canção te entoa..
USegue afinado no meu Lá Dó, chega em Mi que já já vem Sol e chegaremos Sí e juntos.
NBailando entre cada um dos versos que só tuas notas conseguem compor…
UFazendo o fundo musical de um cenário que só eu vejo
NQue apesar de invisível, torna-se totalmente concreto se vc faz morada
UEntão quando me encontrará entre os classificados?
NEntre aquelas letras ora miúdas, ora gigantes, como tua presença real
U Dizem que sou louco por venerar-te assim, sem nem saber a cor de teus olhos, seu tipo de cabelo, seu dia preferido da semana
NSem sequer um dia ter sentido teu abraço me tomar, sem sentir teu beijo me percorrer… Sem jamais ter falado contigo fora dos sonhos
U Será que o encanto acaba quando vier?
NSerá que tu continua, se o encanto aumentar?
UMe verá dentro do seu amanhã?
NFará do meu boa-noite o seu café-da-manhã?
USerei eu espelhado na sua xícara de café?
NFarei da fumaça que foge do café os risos que espalharemos pelo cômodo?
UEla podia desenhar a data de quando você chegará
NEle mal conseguia esperar pelo dia em que seus versos seriam sussurrados em teu ouvido
UComo despertador, como canção de ninar
NComo o verbo que traduz o amor e me faz te chamar…
UVambora!
NVamos sair desse lugar, vamos ver o sol se pôr aquém… Vamos deixá-lo nascer além…
UE os braços do tempo vão parar no instante em que encontrarmos nosso lugar
NTuas pernas entrelaçadas às minhas, sem nem sabermos em qual esquina parar
UMinha câmera cerebral filmando todos os passos dos nossos lábios
NDesmemoriando tudo que vivi até agora, para registrar cada centímetro de tua boca
UMeu último primeiro beijo, minha última primeira noite de amor, meu último mundo, último tudo!!!
NMeu último de espera, que será o primeiro da minha vida… Em ti.

Meu primeiro dueto e que tive a honra de tê-lo feito com Nathália Delacroix do “O Óbvio Utópico”. Muito obrigado pela parceria e por ser essa pessoa maravilhosa e Sur Romântica Real. 🙂 Feliz dia duzamigus o/

Anúncios

2 pensamentos sobre “Dueto#1 – Sur Real

  1. aaaaaaaaaaaah, #chorand com o agradecimento! rs

    Uole, a honra foi minha de ter dividido versos com uma pessoa tão poética e que hoje é um amigo indispensável na minha vida óbvia utópica. Feliz dia duzamigo e aguarde os próximos posts do meu blog” #ficadica 😉

    beijo, rirmão gêmulo! o/

Os comentários estão desativados.