Qual é a diferença entre nós? (O outro lado) – Final

E então, minutos depois… “O que eu tenho que ele não tem?”. Perguntou-se. Foi até o disjuntor, apagou as luzes, fechou as cortinas blackout e voltou     pra frente do espelho. A escuridão por completo reinou naquele quarto.  “- O que eu tenho que ele não tem?”. Fechou os olhos e respondeu pausadamente. “- O coração… Os planos… O tempo… O desejo… A fome… A sede… A vontade… O sonho… E as outras coisas que sempre tive, mas não enche mais os olhos dela”. Desistiu de dormir. Caminhou até próximo do computador. Já o ligou tantas vezes que já não era difícil acertar o “Power” com o dedão do pé. Só quando estava bêbado, que acertava diversas vezes o “Reset” e achava que o computador tinha pifado. Enquanto ele iniciava, abriu a porta do quarto e foi até a cozinha. Acendeu as luzes, pegou a garrafa térmica e colocou na caneca, o restante de café que ali estava. Em seguida jogou numa panela pequena e levou ao fogo. Ficou olhando aquele líquido preto dentro da panela, a pequena espuma começar a se formar nas laterais… E pronto, requentado. Passou a panela embaixo do queixo pra sentir o calor e em seguida, jogou o café na caneca. Adocicou, mexeu. Voltou pro quarto com a caneca na mão. Acendeu as luzes e percebeu que deixou as luzes da cozinha acesas. Colocou a caneca do lado do monitor, abaixou-se por trás da cadeira, pôs uma mão no mouse e a outra do lado do teclado. Abriu o Media Player e colocou mais uma vez suas prediletas do Gonzaguinha. Acessou a internet, abriu o navegador, clicou nos favoritos e em seguida no seu blog. Foi até a cozinha, apagou as luzes e voltou para o quarto. Puxou a cadeira, sentou, se ajeitou, pegou a caneca e começou a escrever um novo post. Tinha descoberto uma nova inspiração para o que escrevia no blog há pouco tempo e estava gostando muito do que andava escrevendo… A falta de amor. A cada parágrafo, um gole no café. A cada palavra – “diferença” escrita – um suspiro. Terminou o café… Terminou de escrever. Ouso dizer que escrever aquilo o revigorou, mas posso dizer também, que melhorou muito o seu humor. Esperou um tempo pra publicar o post, queria encontrar alguma imagem que se encaixasse com o texto. Foi no seu Twitter… “What’s happening?”. O que está havendo? Tinha um novo Follower. Ela estava o seguindo de volta. Certo dia bêbado tomou coragem para clicar em “Follow” e viu o quão simples era. Foi no Media Player e trocou o Gonzaguinha pelo Bon Jovi. Acessou o Orkut e foi direto no perfil dela, olhar as fotos. Enquanto a olhava, seus pensamentos voaram… “- Por que eu não consigo te esquecer? Por que você faz tanta falta? Por que você não volta? O que ele tem que eu não tenho? Só você não vê o quanto sou melhor… O quanto me tornei melhor… Por você, por mim e por nós…”. E então voltou ao seu blog e publicou seu novo post: “A diferença entre nós!”.

Anúncios