Quem vai?


Eu me lembro até hoje… Olha bem onde você foi parar de novo… “Logo no meu hospital? Tinha realmente de ser aqui?”. Perguntei-te. Mas, era em vão… Você parecia inconsciente. Então, como da última vez, ficamos a sós em uma sala de cirurgias. Injetei-te minha dose pessoal de adrenalina, extraí sua depressão, implantei elogios sinceros, minha calmaria predileta e algumas das palavras que sempre me vem à mente quando o pensamento é você…

Há quanto tempo tem sido assim? Você vindo aqui quase à beira de uma overdose de esquecimento e como se eu fosse outra pessoa… Nunca eu… Nunca aquele… Sempre esse outro. Será que é assim também nesses outros consultórios que você descobre uma nova dose de esquecimento? Por que sempre sou eu que tenho que te desintoxicar? Eles não fazem desintoxicação? Não cuidam de ti quando a taxa do seu ego e do seu orgulho está em falta e a depressão circula forte pelas suas veias? Por que sobra só pra mim? Podia estar consciente pra me responder… Mas há outro problema. Você sempre vai embora antes de voltar 100% ao normal e ao sair, me trata como se fosse obrigação minha e com um sorriso matador.

O terceiro problema é que, eu sei… Podia simplesmente pedir minhas contas e me mandar pra outro hospital. Qualquer um que fosse longe o bastante de ti e poderiam até pagar menos. Aceitaria. Mas, se eu me for… Quem vai te receitar o próprio ouvido quando você precisar desabafar ao em vez de receitar um convite de sair por aí e por uma noite casual? Quem vai te consultar sem tirar a sua roupa? Quem vai aceitar fazer papel de paciente pra você se sentir superior por um dia? Quem vai extrair sua depressão? Quem vai deixar você fingir que não sabe quem eu sou? Quem vai implantar no seu ouvido: “Eu sinto a sua falta!” e ver você partir sorridente como se fosse parte da consulta? Quem vai?

E enquanto você se vai… Leoni canta por mim…

“Foi só um sorriso e foi por amor
Nenhuma ironia, não foi por mal
Foi quase uma senha pra te tocar
Nem foi um sorriso, foi um sinal

Por trás das palavras, da raiva de tudo
Sorri pra tentar chegar em você
Foi como fugir pra nos proteger
Enquanto eu sorrir ainda posso esquecer
Porque

Quem vai te abraçar?
Me fala quem vai te socorrer
Quando chover e acabar a luz
Pra quem você vai correr?
E quem vai me levar
Entre as estrelas, quem vai fazer
Toda manhã me cobrir de luz?
Quem, além de você?
Quem, além de você?

Ninguém tem razão, tenta me entender
E a gente é maior que qualquer razão
Foi só um sorriso e foi por amor
Te juro do fundo do coração

Foi como tentar parar esse trem
Com flores no trilho e acenar pra você
Parece absurdo, eu sei, mas tentei
Enquanto eu sorrir ainda posso esquecer
Porque

Quem vai te abraçar?
Me fala quem vai te socorrer
Quando chover e acabar a luz
Pra quem você vai correr?
E quem vai me levar
Entre as estrelas, quem vai fazer
Toda manhã me cobrir de luz?
Quem, além de você?
Quem, além de você?

Deixa isso passar, e quando passar
Vou estar aqui te esperando
Pra te receber
E sorrir feliz dessa vez
Que esse amor é tanto”

Anúncios

Um pensamento sobre “Quem vai?

  1. Nem sei o que dizer…
    É estranho e triste sentir que a gente pode ser a única pessoa que sabe lidar/cuidar de alguém que insiste em ficar longe.

Os comentários estão desativados.