E agora?


Hoje, comemoro mais um ano que tu foste embora. Mais um ano que faço o que bem quero sem me preocupar com a hora de chegar em casa, que as contas de luz e telefone chegam mais baratas, que o gás dura mais tempo e compro menos pra dentro de casa. Se não tivesses ido, eu não teria conhecido metade de toda essa gente boa que conheci, não teria me envolvido com nenhuma dessas bocas que procurei a tua, não teria me enlaçado com nenhum desses corpos que me fizeram suar e não estaria aqui hoje, bebendo e comemorando por alguém que foi embora.

Na verdade… Se não tivesse ido… Eu não sentiria a sua falta e não estaria aqui sozinho, numa mesa de bar mentindo pra mim mesmo. Queria continuar pensando assim quando essa embriaguez passar. Fazer de conta que quando fico até tarde na rua… É realmente por não me preocupar com a hora de voltar e não pra fingir que alguém me espera e eu quem não quero voltar. Fazer de conta que não sinto falta de ver inúmeras ligações para o número da sua mãe na conta do telefone, da conta de luz vir mais alta que de meus amigos solteiros, o gás durando menos de dois meses e aquela listinha enorme com o que comprar no Supermercado.

Essas pessoas novas que conheci não te conhecem e por isso, elas me mantêm a salvo de nossos amigos em comum que insistem em perguntar-me o porquê de você ter ido embora. Se eu ao menos soubesse o porquê e pra onde… Essas bocas que procurei a tua me mostraram o quanto o teu beijo é perfeito, o quanto tua língua sabe bem dar-se ao ritmo da minha e o quanto tua saliva é a água da minha sede. Esses corpos que me enlacei me mostraram o quanto grito seu nome com os olhos fechados, que teu corpo é a minha fonte de desejos e que o teu suor é a minha bebida predileta.

Todas as noites que paro pra refletir, eu me lembro de quando te conheci. Você dizia que se pudesse, viveria numa bolha de sabão… Por flutuar e ser colorida. Eu lhe disse que não seria bom, pois as bolhas duram menos de um minuto, independente de pequenas ou grandes. Lembra quando disse que seria a primeira a comprar uma Máquina de teletransporte? Eu lhe disse que já há tempos desconsideraram a possibilidade de um corpo se desmaterializar e se materializar em outro lugar. Daí você me disse que a minha realidade feria as tuas fantasias, mas que seria bom me manter por perto pra trazê-la de volta à realidade vez ou outra. Pois é… E agora?… Como posso te trazer de volta?

Anúncios

3 pensamentos sobre “E agora?

  1. Mentir pra nós mesmos é uma coisa tão idiota, né? Porque, por mais que a gente tente, arduamente, nos enganar, nós sabemos muito bem o que se passa lá no fundo. Mesmo quando temos medo de admitir.

Os comentários estão desativados.