Na estrada sem fim

Depois de muitos anos seguindo em frente, parou, olhou pra trás e viu um passado tentador na esquina. Depois de alguns minutos a olhá-lo, voltou a olhar pra frente e viu um futuro promissor na próxima esquina. Olhou para o lado e avistou uma pedra grande no acostamento da estrada sem fim. Sentou-se nela com os cotovelos nos joelhos e os braços cruzados. Olhava para o passado e depois para o futuro… Voltava a olhar para o passado e depois para o futuro. Ficou horas assim entre um cigarro e outros, até o entardecer. Então, percebeu que estava sentado em cima de seu presente. Levantou-se num pulo e ficou ali, de frente pra pedra, olhando-a. Coçou a nuca com as duas mãos. Espreguiçou-se. Sentou-se no acostamento, de frente pra pedra e olhou-a cara-a-cara. De repente na pedra formou-se um rosto sorridente a encará-lo. Sorriu de volta e se encararam com ternura. Segurou nas laterais da pedra e virou-a de frente para onde se encontrava o futuro promissor. A pedra fez uma cara estranha… Sorriu… De repente, fechou os olhos e começou a tremer.  Percebeu que a pedra não queria mais olhar, então, rapidamente virou-a de volta ao ponto inicial. Ela encarou-o sorrindo mais uma vez. Depois de um tempo, virou-a de frente para onde se encontrava o passado tentador. A pedra sorriu… Seus olhos brilharam… De repente, fechou os olhos, mas continuou sorrindo como quem estivesse viajando em alguma lembrança boa. Deixou-a ali daquele jeito por algum tempo e virou-a novamente de volta ao ponto inicial. Coçou a cabeça, intrigado. Ela demorou um pouco a abrir os olhos… Até por fim, encará-lo novamente e com um sorriso maior que qualquer dos anteriores. Olhou-a bastante pensativo. Teve uma ideia. Virou a pedra de frente para o futuro, pediu pra que esperasse de olhos fechados e só os abrisse quando ele gritasse que sim. Correu até lá e imaginou um enorme espelho do lado do futuro, que refletia o passado. Como se passado e futuro fossem um só. Permaneceu entre os dois e gritou: “Abra!”. A pedra abriu os olhos… Olhou pra ele, depois para o passado tentador e em seguida para o futuro promissor. Seus olhos brilharam e mais um enorme sorriso. Percebeu que tinha um presente feio, mas lindo por dentro e com um coração mole… Pedra mesmo era só a capa. Voltou correndo pra onde ela estava, sentou-se a seu lado e juntos olharam o passado promissor num futuro tentador na estrada sem fim.

Anúncios

Um pensamento sobre “Na estrada sem fim

  1. Poxa, gostei demais… demais mesmo!
    Coração com capa de pedra e recheio de geléia? ;*

Os comentários estão desativados.