I wonder why

Eu ainda vejo tudo em você e a sua volta. E sei que chutei fora todos os sentimentos, mas é o mesmo que dizer da boca pra fora. Devia saber… Ou não. Há uma nuvem negra com uma chuva incessante no meu quarto, que está alagando todos os cômodos da casa. Fica intacta presa ao teto como o ventilador, que mesmo ligado não consegue dissipá-la ou desgruda-la de lá. Só vejo o sol e faço contato com todo tipo de calor, pelas ruas, esquinas, avenidas e outras cidades, às vezes estados. Vez ou outra eu passo um tempo fora fazendo de quartos de hotéis, a minha fiel e apaziguadora morada. Por mais que eu lute, entregue, grite e me cale… Não adianta… É uma luta contra mim mesmo e que você não está aqui pra jogar a toalha branca por mim ou fazerem soar o sino antes do meu Knock Out.

As canções de amor não fazem mais sentido algum, nem debaixo do chuveiro, que tem uma canção bem mais confortadora, chamada silêncio. E é debaixo do chuveiro que eu nunca sei distinguir o que é água de água ou água de lágrimas. Se as canções fizessem ou voltassem a fazer sentido, eu não estaria aqui assim… Jogado entre as minhas próprias migalhas, vendo meu violão envelhecer e abstinência nas cordas. A última vez que esbarrei nele, a Mi fez som de Si e a Lá fez som de Ré. Ah… Quer saber? Eu continuo no mesmo lugar de sempre, com as fotos que não me fazem lembrar de ti, mas sim, tudo que joguei fora. Então saiba… Não se resume só em ti. E as lembranças às vezes trazem a esperança, que no fim das contas tudo seja um pesadelo e/ou volte ao que era. Mas… O que era? Acho que eu fiz uma fusão da minha indecisão com uma grande confusão, não é? Pois bem…

É aquela foto que eu não tirei que está me matando. A foto em que você dá o seu último adeus. Foi minha mente que tirou e fez cópias dentro de um álbum pra esfregar bem na minha cara, e como uma marcação imaginária em cima da data no calendário… Pois sempre sei exatamente o dia, mês e a hora que… Que… Você sabe! Minha mente também cria sonhos onde tento tocar seus cabelos e não alcanço… Tento beijar seus lábios e não os sinto… Você não para de dizer: “Por que você se foi? Por que você quis assim?” e eu acordo gritando: “Eu quero voltar! Eu não quero mais assim! Chega!”. Eu sei… Sou um idiota orgulhoso, mas eu estou tentando mudar. Juro-te que volto assim que conseguir e preparado caso não me queiras mais. Sou apenas um homem que erra como todo outro homem, e você esperava algo melhor que isso.

Eu sei das merdas que fiz e você não tem nada a ver com isso. Quem jogou tudo para o alto fui eu e agora vou atrás pra recolher tudo. Estou tentando… Ser… Humano ou mais. Volta pra casa, vai… Comprei um CD com as melhores do Curtis Stigers e me fez ver o quanto meu mundo é você. Vem! Faz as canções voltarem a fazer sentido. Não me deixe nessas madrugadas solitárias ouvindo “You’re all that matters to me” e “I wonder why”.

Anúncios

3 pensamentos sobre “I wonder why

Os comentários estão desativados.