Psoríase

Hoje não estou aqui pra falar de Amor, Romances fodidos e etc. Especialmente, hoje falarei sobre a Psoríase. Você conhece? Já ouviu falar? Conhece alguém que tenha? Pois eu tenho um amigo que tem e não preciso citar nomes, sei que ele não iria gostar, mas, foi ele quem me pediu para falar sobre, pois sou uma das pessoas que ele conhece que mais sabe sobre a doença, depois dele. Às vezes você tem um amigo que tem e nunca percebeu ou ele nunca te contou. Às vezes já te contou, mas você nunca se interessou em saber mais sobre ou achou que era exagero.

A Psoríase é uma doença dermatológica, autoimune, inflamatória, crônica, incurável e não é contagiosa. Sua causa, até então é “desconhecida”. Por que será? O que se sabe é que o estresse emocional atua como um importante fator desencadeante da doença. Afeta a qualidade de vida e a autoestima do portador. Sua gravidade pode variar desde uma ou duas lesões assintomáticas, até doença generalizada com esfoliação, inflamação eritrodérmica, pustulosa e artrite psoriática, que pode ser debilitante e incapacitante. De todos os mais de cento e nove milhões de Brasileiros, três milhões sofrem com a doença. Tem ideia? É mais comum em pessoas com pele mais clara e menos comum na população indígena e em amarelos, fora que até agora ainda não foi constado nenhum caso entre esquimós. Desenvolve-se com maior frequência entre 20 e 40 anos. Às vezes você tem e não sabe. Como também não tem como saber nem prever… Só se sabe com o seu aparecimento. Os sintomas podem variar e serem mais graves se surgirem na infância. Aí você curioso pergunta: “E o teu amigo foi com que idade?”. Resposta: “Acho que por volta dos doze, treze anos”. Continuando… Quando surge na infância, ocorre em uma forma denominada de “Psoríase Familial” e quando se desenvolve mais tarde, denomina-se “Psoríase Não Familial”. Essa forma de recorrência familial está intimamente associada a problemas imunológicos e a uma predisposição genética, porém, não necessariamente a Psoríase é hereditária.

Vamos nos aprofundar mais no assunto… Ela é uma doença psicossomática. Aí você pergunta: “Psicoquê?”. Resposta: “Psicossomática”. E o que é? Soma vem do grego, significa “corpo”, seu derivado “Somática” é o que é corporal; Psychê pode-se dar o significado “mente”, “alma” ou “inconsciente” e Pso quer dizer “escama”. Todo ser humano é um produto da somatória de uma genética-biologia (SOMA), somatizada com a psico-história (PSYQUÊ) e, em conjunto com as vivências existenciais, as quais se encontram dentro deste labirinto de uma condição dinâmica, vive-se numa espécie de “teia de vida”, dentro da qual se adoece , mas também se pode realizar-se e, ao mesmo tempo, tentar suportar as dores, sofrimentos e deficiências dos sistemas orgânicos que compõem o corpo humano (genético, biológico, psíquico e ambiental). Sabe-se que há uma profunda ligação da incidência da psoríase com o fator psicoemocional, por isso a psoríase é considerada uma doença psicossomática e, sendo autoimune, o sistema imunológico reage contra si mesmo causando os sintomas que, se não forem tratados adequadamente, podem se agravar muito com o passar dos anos. Os amigos, familiares, entes queridos e colegas de trabalho, devem procurar aceitar quando o indivíduo que é portador não é uma pessoa comum, é uma pessoa especial que possui limitações físicas, estéticas e psicoemocionais… Cujo nível de autoestima pode ficar extremamente abalado com situações que envolvem estresse, aborrecimentos, problemas econômicos e sociais. Isso pode agravar o seu quadro psicossomático, consequentemente, piorar seu estado de saúde e até causar sentimentos de tristeza, assim como pode levar o portador de psoríase a ansiedade crônica em razão dos sintomas que ele sente fisicamente e socialmente e, além disso, atingir uma depressão profunda (depressão maior). Deve-se compreender que quem tem psoríase pode não corresponder aos mais simples afazeres de sua vida cotidiana, tanto no trabalho (ou na ausência dele), como também nas relações íntimas, familiares e afetivas. O fato de não se poder fazer mais o que se fazia antes de ser acometido pelos sintomas da psoríase afeta profundamente o estado psíquico e emocional do portador. É fundamental que as pessoas que se relacionam de alguma forma com um portador, entendam bem o que é a doença. Geralmente necessita de mais compreensão, de mais tolerância e afeto do que uma pessoa que não possui a psoríase, pois, além de sofrer de problema de saúde – que sabe ser incurável e de difícil tratamento e controle – ainda sofre com o preconceito e a discriminação social. Não é difícil imaginar qual é o sentimento de alguém que tem psoríase quando ele for discriminado em qualquer situação no trabalho ou no seu meio ambiente e até pelos seus próprios familiares dentro de sua própria casa ou núcleo familiar. Por essa razão, saber conviver com psoríase determina um ponto de autoafirmação saudável para o portador e para a melhoria de sua autoestima. Todas as pessoas têm seus próprios problemas pessoais. Mas há vários tipos de problemas com a doença e cada um reage a um fator psicobiológico e ambiental diferenciado em sua vida, além dos vários tipos diferentes de medicamentos. Até hoje não se tem conhecimento de ocorrência de psoríase em nenhum outro ser vivo que não seja um ser humano. A psoríase é uma doença que acomete exclusivamente os seres humanos e, por esta razão, as experiências e testes em laboratórios com novos medicamentos em ratos, e outras cobaias e, até mesmo em chimpanzés (que têm código genético quase idêntico ao humano), simplesmente não são possíveis de serem realizadas. Saber conviver com ela é algo muito delicado, serve tanto para quem é portador, tanto quanto para quem se relaciona com o portador. A Psoríase já existe há tanto tempo e acho que até hoje nunca se viu um personagem na novela como portador, pois, o que vende é traição, usuários de drogas, galãs e gostosas, Índia, guerra, tráfico e outros etc. Ou já? Não posso dar muita certeza, pois não vejo novela, mas, creio que se já tivesse, o mundo já teria outros olhos para com a doença.

“A paz espiritual, a auto realização, sentir-se “igual”, sendo útil à sociedade e tendo afeto e reconhecimento das pessoas que convivem ao redor, é um instrumento fundamental para assegurar a qualidade de vida existencial do portador de psoríase”. (André Novaes)

 Saiba mais no site http://www.psorierj.org.br/ ou no nosso querido e amado Google.

PSORIERJ – Associação dos Amigos e Portadores de Psoríase do Estado do Rio de Janeiro

Anúncios

2 pensamentos sobre “Psoríase

  1. Oi!

    Também tenho um amigo que sofre desta doença, foi através dele que obtive conhecimento sobre a mesma.
    Sei o quanto essa doença tem influência sobre a autoestima do portador, mas também sei, ou aprendi, que muito mais vale o que a pessoa é, como ela enfrenta a situação e como ela se aceita, do que a aparência.
    É difícil pra quem tem a doença, às vezes acho que quem tem a percebe muito mais do que as outras pessoas que veem. (por não saberem do que se trata, talvez)
    Mas enfim, esse meu amigo tem tantas qualidades, que reparar na estética é uma completa uma perda de tempo.
    Triste é perceber que num País como o nosso, casos como esse passem despercebidos.

    Beijo! ;*

  2. Preconceito? Falta de conhecimento e/ou sentimento de se achar melhor do que o resto do mundo. Triste, de qualquer maneira!

Os comentários estão desativados.