Te fazer esquecer

Bem que esse copo de uísque poderia ser um oceano de álcool, pra que você pudesse mergulhar até o fundo e permanecesse até que entrasse no ápice de um coma alcóolico… Não? De gole em gole pode não ser tão eficiente do jeito que gostaria que fosse agora. Já perdi as contas de quantas guimbas de cigarro você jogou pela janela, mas ainda tem umas trinta para serem jogadas. Olhando daqui de cima e deixando a imaginação fluir um pouco, dá até pra ligar os pontinhos de guimba em guimba e formar um desenho… Só não sei que diabos é isso que elas formam, pois parece muito com um alguém todo torto no chão, como se fosse aquela marca de giz que fazem no chão indicando onde estava a vítima morta. Será você? Espero que não seja nenhum tipo de previsão… Não pretende se jogar aqui de cima, né? Não seria tão fraco a tal ponto.

No escuro dessa sala a luz vermelha no ‘ON’ do rádio às vezes te distrai quando não toca algo bom. Isso tudo pra tentar distrair esse aperto que está sentindo no peito… Parece até que colocaram seu coração entre as palmas das mãos, pressionando bem forte para amassá-lo como uma lata de refrigerante, e ele se debate freneticamente tentando sair, ou quem sabe, respirar. Seu sangue percorre todo o corpo velozmente e tão intenso como as ondas no mar em dias que a maré sobe, quando resolvem invadir a cidade, alagar as casas e destruir tudo que toca com sua ira ‘fenômeno natural’.

Difícil também, é desligar esses pensamentos, lembrar o que é fome, sono e quem você é. E quando a rádio resolve tocar uma música contando pra todo mundo sobre o seu problema? Você sente até calafrio, fica todo arrepiado e os olhos parecem que vão saltar da cara. Mas pra sua felicidade se esqueceram de colocar o seu nome… Então só você sabe que aquela história cantada, é sua. Aí aumenta a tristeza que já é enorme e você cai num labirinto sem saber pra onde ir ou o que fazer. Fica inquieto pra lá e pra cá, mais guimbas vão voando pela janela e o copo está sempre cheio enquanto a garrafa se vai esvaziando… E esvaziando… Então num momento que sua cabeça dá um segundo de alívio ou brecha, você pensa que o melhor amigo do homem é o uísque e não o cachorro ou o amigo que não faz ideia do que você está passando… Ou pode ser só dos alcoólatras (dependendo do ponto de vista).

Minutos depois você está rodeado de palavras, exclamações, interrogações, vírgulas, frases e não consegue encontrar um lugar ideal para um ponto final. Daí numa turbulência de emoções, com os pensamentos no replay e aquelas duas mãos pressionando o coração… Cai em prantos no canto mais escuro da sala, onde a luz da lua não toca. Aperta forte o cabelo como se ele fosse aqueles pensamentos que estão a te desnortear sobre amor, respeito, fidelidade, cavalheirismo, romantismo… Não! Porra! Está louco? Não vai dar pra arrancá-los em tufos.  Hoje a noite é a festa das tuas fraquezas, aniversário desse aperto forte no peito e que parece não querer ir embora de jeito nenhum. Os principais convidados já estão presentes: insegurança, medo, saudade, dor, insônia, tabaco e álcool.

Eu sei que o mais difícil foi você finalmente ter percebido que ela é humana, lembrado que todo ser-humano erra e que poderia ser você na situação dela. Que por mais que essa festa tenha sido patrocinada por ela… Precisa dela pra mandar todo mundo embora e acabar com a festa. Sabe que ela aprendeu muito bem com o erro e já percebeu que hoje em dia não se encontra mais alguém como você. Fique tranquilo que cada vez que ela reaparecer vai trazer algo de volta e quando você menos esperar, tudo estará em seu devido lugar, como antes… Ela está disposta e vai conseguir. E daqui a pouco quando ela aparecer… Eu sei… Você vai dizer a ela: “Eu ainda te amo” e ainda vai achar que ela está errada ao dizer que não merece alguém como você. Eu concordo com os dois. Você ainda a ama e ela não te merece, mas pode fazer por onde merecer só ao começar a tentar… Te fazer esquecer.

Anúncios

3 pensamentos sobre “Te fazer esquecer

  1. PQP! Eu já conhecia, mas tu conseguiu fazer meus olhos encherem de lágrimas… quem dera se com os tufos de cabelos, esses sentimentos ruins fossem embora! Uísque, cerveja, tequila… nada leva a dor embora.

    Lembrei do “Bonzinho romântico que só se fode”…

    Que bom que tu tirou o pó e as teias de aranha do blog… tava com saudade!

Os comentários estão desativados.