Fraturada

Não é difícil perceber que tem caroço nesse angu, como diria a minha avó. E se duvidar, ou é mais um caroço no mesmo angu ou o mesmo caroço no novo angu. Sim… Algo está errado e não é a primeira vez. Não é a primeira vez que me pego sentada no chão de frente pra mesinha, olhando apreensivamente para o telefone, o esperando gritar, mesmo que não seja meu nome. Não é a primeira vez que meu celular fica sem crédito de tanto deixar recado na caixa postal de um número que insiste em não me atender. Não é a primeira vez que fico esperando alguém que eu não esqueço… Lembrar-se de mim. Enfim, não é a primeira vez que você diz que hoje não vai mais me atender. Eu deveria entender que isso também quer dizer que não vai me ligar… Mas faço o tipo de guria que não consegue dormir com as coisas mal resolvidas e fica esperançosa que certas coisas sejam da boca pra fora.

No dia seguinte é aquilo… No primeiro toque eu atendo e lá vêm as mesmas desculpas, que eu aceitava até começarem a virar figurinhas repetidas. E a culpa é toda minha por ter sido tão maleável, ter te deixado a par do tamanho de sua importância, ter dito e feito coisas que nunca ouviu ou viu de alguém e ter lhe mostrado o meu ponto fraco. Eu sabia desde o início que daria nisso, mas resolvi dar o braço a torcer… E por conta disso agora estou com uma fratura exposta. Depois de hoje, não precisa ligar quando isso acontecer novamente. Só se for pra dizer algo novo, até por que, estou precisando de figurinhas novas, pois ainda tem muito espaço nesse álbum. Eu posso desistir… Eu tenho esse direito… Até por que, se eu desistir, vai ser a primeira vez.

Estou tentando fazer do jeito que eu já deveria estar fazendo, tentando mudar esse meu jeito de ser. Preciso ser mais firme e às vezes um pouco fria como você, talvez assim, você me escute antes de pensar em deixar as coisas mal resolvidas. E eu preciso ser assim até que o meu braço volte para o lugar ou eu encontre um jeito de fazer isso sozinha. Só não garanto que eu consiga pôr tudo isso em prática. Mas se perceber que ainda estou na mesma, não aproveite a brecha pra cutucar a fratura. Posso estar realmente só ladrando… Mas uma hora ou outra eu realmente irei morder!

Anúncios

3 pensamentos sobre “Fraturada

  1. Cada um tem sua fratura e seu próprio carrasco, que fica lá cutucando bastante. A maldição é a gente gostar do carrasco =x

  2. Parabéns… é fantástico ler suas histórias e nessa, como já aconteceu outras vezes, eu me identifiquei…

    Obrigada pela oportunidade de me ver nessa história, isso serve como “chacoalho”… serve pra me ajudar a acordar…

    Bjkitas 😉

    Carina Martins

Os comentários estão desativados.