No final…

Para de inventar desculpas e fazer rodeios. Diz com todas as palavras: “Eu quero te ver!”. Quantos filmes nós já vimos, que mostram que o orgulho, nesses casos, não leva a lugar nenhum? Você que é tão culta e devoradora de livros… Quantos livros você já leu, que também lhe mostraram que o maldito orgulho, nesses casos, não leva a lugar nenhum? E as músicas? Sermões de amigos, às vezes dos pais… A vida… E um monte de eteceteras que faço questão de não abreviar… Ou você está indo e agindo contra você mesma? Se for, não faz sentido. Aprendi tanto com você, que agora, eu juro, não estou lhe reconhecendo. Não sabia que o fato de sermos amigos, pesaria tanto contra, do jeito que você faz parecer. Pelo contrário, pra mim seria só pró atrás de pró.

 Sei que parece cartinha de adolescente apaixonado… Na verdade, quem me dera fosse. Você acha mesmo que eu queria pensar que você é minha outra metade da laranja, minha cara-metade, a foto ao lado da minha num belo relicário? Também estava muito satisfeito com a tua amizade, até ver que só eu sei como cuidar bem de ti. Maldita hora que fui começar a me deixar levar pelo pensamento de que você seria a única que saberia cuidar bem de mim. Outra coisa que eu tenho pra te ensinar é isso… Não alimente um pensamento que te faça parecer um adolescente idiota, escroto e apaixonado. De que adianta saber se não quer pôr em prática? É tão fácil chegar à conclusão mais óbvia… Se como amigo, eu já praticamente girei o mundo ao contrário por você, imagina se me escolhesse pra ser quem vai envelhecer ao seu lado?

 Pensando bem, agora, acho que já sei. Será que tem medo de que no final eu seja só mais um futuro ex? Será que tem medo de que um dia eu não veja mais graça em você, como diz ter sido o caso dos teus pais? Será que você tem medo que chegando numa certa idade, eu lhe troque por alguém mais novo, como diz ser o caso dos teus padrinhos? Estragar a amizade, eu sei que não vai. Uma hora ou outra, teremos tantas responsabilidades, que os amigos vão ficando praquele barzinho na sexta ou pra um aniversário no Sábado ou até, um churrasquinho no Domingo. Quem sabe? Sei que não quero que um dia, quando cada um inevitavelmente seguir o seu caminho… E esse caminho for bem longe do caminho do outro… Bom, guria… Eu sei é que eu não quero ser o assunto que vai ter com alguma nova melhor amiga, sobre aquele pequeno príncipe maltrapilho que você nunca esqueceu, pois tinha medo que estragasse a amizade.

 Será que você realmente gosta daqueles guris que são um amor de pessoa até te levarem pra cama e sumirem no dia seguinte? Será que você realmente gosta de ser esquecida? Nunca imaginei que fosse do tipo de guria que você mesma critica tanto… Veja bem… Veja o quanto faz igual a elas… Ou vai dizer que não faço o tipo de cara romântico, que se preocupa, te procura, te faz rir enquanto pensava que só iria chorar, e quando te faz chorar, é por um bom motivo e não por mal? Não sabia… Pois você mesma já disse, nunca esqueço. “Não tem como não rir perto de ti… E você é tão carinhoso… Não sei como consegue não durar com ninguém”. Eu lembro e sei bem o motivo, a culpa é de gurias como você, pois não depende só de mim. Eu me dou… Eu me dou de verdade! Mas vocês só prestam atenção e sentem falta dos que não prestam… Os que prestam, só lhe servem como bons amigos. Mas, até quando? Até você arrumar um, que antes de você, vai perceber o quanto eu me dou melhor com você do que ele? Por que já estou cansado daqueles que sabem que depois que eles forem embora, você não vai ficar tão mal, pois eu estarei lá no final…

Anúncios

3 pensamentos sobre “No final…

  1. A velha história de sempre, e sempre tão conhecida. Quem tem medo do que sente, sempre arruma uma desculpa qualquer pra não tentar =/

Os comentários estão desativados.