Caminho alternativo

Quando você perde a cabeça, quem está sempre por perto e disposto a te acalmar e servir o ouvido como saco de pancadas pra que você desfira seus socos verbais? Quem deixa que você empurre ladeira abaixo dentro de uma bola de neve que você mesma criou? Quem lhe serve como para-raios quando a tempestade se faz presente em cima de ti? Sei que quando eu canto você se acalma, por mais que eu cante mal… Muito mal. Por isso vivo cantando quando você está por perto, pra evitar que algo ruim lhe aconteça. Estou me afogando cada vez mais, quando essa tempestade cai sobre ti. Você diz que é injusto, mas, você faria o mesmo por mim. Só ainda não aconteceu, por eu ser um pouco mais paciente que você. Mas quando eu perco a cabeça, de verdade, você sabe que o mundo acaba. Já aconteceu uma vez… E quem chorou não fui eu.

A gente dá uma volta no quarteirão e tudo fica certo. Se quiser ficar sozinha, você vai à frente e vou logo atrás, só pra ter certeza que nada acontecerá e que não fará nada que se arrependerá quando se acalmar. Quando corre e cai, antes de piscar já estou lhe estendendo a mão. Você levanta e deixo você tomar alguns passos de distância novamente. Quando se acalma… Quando começa a anoitecer… A gente fica no telhado se fazendo de duas estrelas tentando voltar lá para o céu. Isso te acalma, não sei por que. Mas pra mim, está tudo bem, você se acalmou. E eu não trocaria esse nosso momento em silêncio por nada nesse mundo. Você fica linda quando está sentada ao meu lado, com a cabeça pousada no meu ombro e com um sorriso de satisfação no rosto, por estar comigo.

Se eu escolhesse um caminho alternativo, você viria comigo? Se meu ouvido se tapasse involuntariamente, você me ouviria? Se meu para-raios falhar ou eu esquecer alguma frase da sua música predileta, vai ficar chateada? Tenho medo de não estar por perto quando algo de ruim lhe acontecer e lhe derrubar, sem ter chance pra se levantar. Isso sim não seria justo. Não merece cair e ficar no chão, não ter alguém pra te ouvir, te confortar e lhe estender a mão. Você merece alguém como eu! Ainda bem que gosta de ter e não consegue não me procurar. Lembra seu primeiro pico de ciúme? Não resistiu e veio desabafar comigo. Perdeu a cabeça e lá estava eu tentando te acalmar, servindo o ouvido como saco de pancadas e você desferindo socos verbais. Doíam, mas eu ria. Pois seu primeiro ciúme bobo foi o que me deu certeza que o sentimento era recíproco. Vamos pegar um caminho alternativo para o céu, entre as estrelas e sair desse telhado?

Anúncios

Um pensamento sobre “Caminho alternativo

Os comentários estão desativados.