Duas cidades com costumes diferentes

A ponte que nos unia se quebrou. Agora não há mais um meio de nossas cidades interiores manterem contato ou o meu povo visitar o seu, e vice-versa. Vamos aproveitar pra inventar leis diferentes… Farei leis as quais seu povo não saberá, pra caso consigam chegar até aqui, infrinjam no mínimo dez e eu possa julgá-los de acordo com a lei e a justiça do meu povo! Faça o mesmo… Caso meu povo me desobedeça e resolvam visitar a sua cidade, invente uma lei que puna os moradores de minha cidade, mas não os visitantes em geral, você vai e quer receber novos visitantes de diversas cidades. Você adora quando um novo circo chega aí. Acha que eu ainda não sei? A tua cidade é maior que a minha e cabem cidadãos de diversas cidades num único dia, enquanto a minha é preciso agendar antes pra não haver superpopulação. Também podemos separar as músicas. Meu povo vai gostar de ficar com Rock, Blues e Mpb, seu povo pode ficar com Pop, Hip-Hop e mais quais gêneros quiser. Eu já prendi meus arrependidos, faça o mesmo antes que eles possam organizar uma revolução debaixo de seus olhos e você só perceba quando for tarde. Mas não vamos chegar ao extremo de entrar em guerra, pois, não quero realmente nenhum tipo de contato entre o seu povo e o meu. Muito menos se matando por nada. É sério! Somos duas cidades perdidas… Assim sendo, duas causas também. Pense nisso.

A sabedoria do meu povo sempre foi superior a sua e você sabe disso. Sempre quis que eu criasse uma espécie de cota para que alguns habitantes da sua cidade conseguissem ingressar na Faculdade de Sabedoria do meu povo. Querendo me dar em troca bolsas de 100% para o meu povo ingressar a Faculdade de Mentiras do teu povo, mal sabendo que aqui na minha cidade, verdade é uma matéria importantíssima pra passar de ano, desde o primário. Então, aquele seu papinho de que um dia eles precisariam pôr em prática, não rola. E quanto às casas que alguns de meus cidadãos alugaram e/ou compraram, pode pôr em leilão, queimar, doar… Pode fazer o que bem entender com elas, pois já doei as do seu povo para a parte mais necessitada de meu povo. Todo mundo agora tem um lugar confortável pra morar. E estão todos bem felizes, desde já, saiba! Muito felizes!

Avise ao seu povo pra nem ousar pensar em tentar reconstruir a ponte ou passar nadando pelo enorme mar que há entre nós. Joguei tubarões famintos e inventei coisas sobre o tal Monstro do Lago Ness, pra caso alguém daqui pense em atravessar nadando. Tome cuidado. Caso encontrem algum jeito de vir a minha cidade, como já disse, terei minhas leis para julgá-los e puni-los. Antes que pense que estou sendo rude com o meu povo, sem perguntá-los o que queriam, engana-se, pois, foram eles que pediram essa mudança radical. Não faço nada que não seja do gosto do meu povo. Eles até entraram num curso intensivo de apagamento de memória, para se desvencilharem de quaisquer lembranças que tiveram na sua cidade. Ninguém mais tem nenhum tipo de rabo preso aí… Tirando eu, que ainda estou na metade do curso. Pra finalizar, se seu povo reconstruir a ponte, nós atearemos fogo… Como fizemos da última vez, para sermos o que nunca deveríamos deixar de ser… Duas cidades com costumes diferentes, que não se engolem nem fodendo!

Anúncios