You make me feel brand new – Parte 2/2

Estava tudo bem, tudo indo numa boa… Eu sabia lá que você ia aparecer? Eu era feliz na minha solidão privada, sabia? Que diabo deu na tua cabeça pra deduzir que eu pudesse ser um cara interessante? Enigmático pode até ser… Mas, porra, cara interessante é sacanagem. Eu já tinha fechado as portas do meu coração há anos, sério! Até hoje eu tento entender o que se passava na tua cabeça naquele dia. Você é maluca, não é? Por que tinha que ficar de butuca no que eu estava ouvindo e comentar que pessoas que gostam de Simply Red são românticos natos? Não sei se posso negar, mas de onde você tirou essa ideia? Alguma pesquisa? Eu devia ter lido as outras partes dos jornais que andei comprando? Merda. O mais foda de tudo é que você puxou um assunto que eu nunca conseguiria ignorar ou fingir que não estava ouvindo. Maldita hora que fui ouvir a mulher da audiometria quando disse que fone muito alto danifica os tímpanos…

Então eu sorrio igual um babaca com sua informação e você vai e se apresenta estendendo a mão mais bonita de unhas perfeitas que já vi na vida! Daí pensando que você só queria ser legal ou que fosse daquelas mulheres compulsivas que não conseguem ficar muito tempo caladas e puxam assunto com qualquer um só pra matar a vontade de falar… Apresento-me e você pega na ferida, continua o assunto. Quem me garante que eu estava mesmo ouvindo a sua música predileta? Por que eu me arrepiava quando ouvia “Say you love me”? Mal pude respirar e você já estava tirando de mim: gostos em comum, piadas inteligentes do tipo: “O John Lennon devia estar muito louco de droga quando conheceu a Yoko… Deve ter imaginado que ela era uma droga mais pesada”. Pois é… Hoje eu não vejo graça e nem sei por que acabei de dizer que foi uma piada inteligente… Bom… Aí você desce no meio da viagem e eu continuo minha jornada no ônibus rumo ao meu trabalho.

Se eu soubesse que iríamos pegar o mesmo ônibus no dia seguinte, teria esperado o próximo… Juro! Achei uma puta sacanagem terem deixado um lugar vago ao meu lado pra que você sentasse novamente. Eu podia estar numa fase de evitar conhecer novas mulheres, mas não seria um mal-educado e dizer que você não podia se sentar ali por que… Por que… Entendeu? Na terça você foi esperta, já sabia meu nome, que eu era um romântico que ouvia Simply Red durante minha viagem para o trabalho e que não consegui lhe negar atenção. Acha que eu não sei que foi por puro interesse sua pergunta: “E sua mulher, também curte esse tipo de som?”. Depois do meu “não” as coisas só foram piorando, principalmente quando “percebemos” que seria bem provável que pegaríamos o mesmo ônibus todo dia. Não sei bem o que se sucedeu durante a semana, só sei que você conseguiu fazer com que eu te convidasse pra curtir meus quase duzentos gigas de música. Acho que fui inocente e empolgado e precoce e afobado e etc., pois, desde meu último relacionamento eu não tinha mostrado as músicas que tinha baixado, pra mulher nenhuma. No meu último relacionamento eu só tinha trinta gigas… Acho que estava mesmo era a fim de mostrar só… Tudo bem… É mentira, eu já estava querendo ver onde você queria ir… Levar-me.

Começamos a sair e minha rotina foi mudando da água para o vinho. Eu já acordava com mensagens de texto no meu celular, do tipo: “Bom dia! Daqui a alguns minutinhos, vida inteligente no busão pro trabalho!”, “Buenos dias! Te vejo já já, não morra de saudade”, “Good Morning! Baixei um artista novo muito bom, tem futuro. Estou louca pra te mostrar!”. Ia para o ponto doido pra te ver logo. Durante a viagem, às vezes eu nem te ouvia tagarelar… O tempo parava eu ficava reparando um novo detalhe no balançar de seus cabelos, no novo penteado, na nova maquiagem, as novas cores nas unhas e etc. No horário de almoço, lá estávamos nós trocando mensagens de texto. Chegando a casa, ficava na sala bebendo, fumando, trocando mensagens de texto e tinha virado um viciado em Simply Red, não ouvia nada além… Principalmente depois que você me passou a discografia completa quando veio a minha casa pela primeira vez. O tempo foi passando e só vi que tinha dado merda quando recebi a seguinte mensagem: “You make me feel brand new!”. Aí… Bom… A ficha caiu. Eu tinha falhado no meu plano de não mais me apaixonar e evitar dar chance para mulheres destruírem minha vida… De dar direito de um dia se apossarem de minha solidão privada.

Mas, sei lá… Você parece ser tão diferente de todas as outras. Sei que vocês no começo sempre se mostram um anjo, pra no futuro mostrar o diabo que realmente são… Mas você… É tão… Ah, você sabe, não sabe? Só queria que você entendesse o porquê fiquei tão travado e afastado depois que você me mandou essa mensagem. Estou tentando ser forte e não assumir que… You make me feel brand new!

Anúncios