Eu volto, você fica

E aí, tudo certinho contigo? Deve estar estranhando receber essa minha carta. Principalmente por ter sido enviada de Ilha Grande, certo? Eu te conheço. E sei sim que era para eu estar revoltado contigo, não querer nenhum tipo de assunto e te evitar ao máximo. Mas preciso compartilhar e você tem que saber. Muito! Estou passando meia parte das férias em Ilha Grande e nesse final de semana estou de volta, revigorado a ponto de que você nem faz ideia. Foram duas semanas maravilhosas. Não sei nem se irá ler até o final, mas só o gostinho de ter escrito, enviado, e saber que chegará a suas mãos, já está valendo. Não precisa nem abrir, muito menos ler assim que chegar. Só por ver de onde veio e quem enviou, já está valendo também. Se estiver lendo… Melhor, se já leu até aqui, então prossiga até o final, por favor. Só tende a ficar cada vez mais interessante.

Não seja estúpida a ponto de pensar que nós mal terminamos… Não… Que você findou nosso relacionamento, e saí por aí para curtir a vida de solteiro ou qualquer merda do tipo. Duramos o quê? Dois anos, não? Vamos fingir que era eu quem não contava as semanas e os meses. Dois anos de namoro e dois anos e meio que nos conhecemos. Certo? Espero estar errado, mas infelizmente é exato. Enfim… Assim que começamos nosso namoro, comecei a juntar dinheiro mensalmente para quando o nosso grande dia chegasse, pudéssemos passar a lua de mel em Paris, como eram os planos, mesmo na brincadeira. Só que no mês retrasado quando recebemos a notícia que você tinha conseguido o emprego que tanto queria, decidi que merecia, e muito, uma comemoração. Então planejei viagem para dois a Ilha Grande. Agendei na data de um feriado prolongado no mês em que eu entraria de férias e reservei o melhor quarto de casal na pousada mais luxuosa que encontrei pela internet. Seria apenas eu e você durante quatro dias no lugar que você sempre teve vontade de conhecer.

Com tudo certo nas mãos, guardei só para mim, seria surpresa. Os dias foram correndo, ficava imensamente feliz nos primeiros dias quando te encontrava depois do seu expediente, você me contava sobre o seu dia no trabalho e seus olhos brilhavam. Até que conforme os dias foram se tornando semanas, as histórias foram ficando cada vez mais curtas e o brilho quase se tornando uma sombra. Quando comecei a te sentir distante, propus aquele jantar para acertar as coisas e contar-lhe a surpresa, até por que já estava próximo. Não imaginava que o problema que você queria tratar comigo era o término, se não nem teria proposto tratarmos durante o jantar, pois eu também tinha algo a tratar contigo. Você fala primeiro… Anda chegando morta de cansaço do trabalho… Sei… Quer retomar os estudos na faculdade… Compreendo…  Quer passar mais tempo com a sua família… Certo… Não sobra tempo para mim… Co… Quê? Como assim? Essa porra tinha que ter sido de sacanagem, sabia? Quando lhe peço detalhes para entender melhor sua decisão, friamente responde: “Já deu o que tinha que dar. Estou desgastada de você”. Levanta e dita que eu não peça para que fique. Se ainda não estivesse engolindo seco a última frase, eu realmente pediria, quisesse você gostar ou não. E quando pisco você já estava atravessando a porta de saída do restaurante.

Acho que tão cedo não vou esquecer aquele último jantar. Durante três dias após, foi: eu me torturando querendo saber o que tinha feito que lhe desgastasse. No quarto dia liguei para a pousada a fim de desmarcar tudo e pegar o dinheiro de volta, mas como era um pacote promocional e por um monte de blábláblá que a atendente disse, não tinha como cancelar. Então consegui com muita lábia trocar o melhor quarto de casal por um bem simples de solteiro, que me rendeu duas semanas. Sua passagem de ida e volta, consegui o reembolso e ele foi convertido em mais bebidas. O dinheiro que eu tinha segurado para nós dois gastarmos com passeios, jantares românticos e etc, me deu a oportunidade de um passeio e um jantar romântico a dois, comigo mesmo.

É esse o sentido da carta. Agradecer-lhe pelas duas semanas maravilhosas que você me deu para passar comigo mesmo. Foram os melhores dias da minha vida. Não vou ser hipócrita em falar que você não fez falta aqui, mas, não foi por mim que você não veio e muito menos o fato de nós não termos vingado. O mais bacana é que o que mais tem em Ilha Grande são motivos para não pensar em você, mas como sou babaca, vira-mexe os ignorava. E hoje estou aqui no quarto escrevendo essa carta, enquanto umas amizades novas que fiz me esperam lá fora para irmos a um bar com sinuca e videokê. Então, mais uma vez, muito obrigado. Se tivesse contado sobre a viagem antes de você falar de seu desgaste, talvez iriamos ter essa viagem juntos e na volta eu iria me enforcar por ter gasto tanta grana para você vir e acabar com tudo. Eu te conheço, você deixaria para terminar na volta. E outra… Não se esqueça de vir conhecer assim que puder, é muito mais do que você imaginava quando conversávamos sobre vir aqui um dia. Em meu último dia aqui, vou enterrar todo o sentimento que tenho por você na areia. Eu volto e você fica.

Com amor e um irônico carinho,
Seu desgastante ex.

Anúncios