Leugim: 01 – A.A. – Amnésia Alcoólica (Parte 2)

Depois de arrumado, desceu as escadas que ligavam o segundo andar ao hall da casa. Sua residência era luxuosa: dois andares, quatro quartos, quatro banheiros, escritório, sala de jantar, sala de jogos, canil, e entre outros cômodos, além da piscina de 10x6m com área para churrasco nos fundos, não tão longe do estacionamento que cabia cinco veículos. Conferiu as horas: Dez e quarente e três. Foi à cozinha.

– Bom dia, Irina.

Irina, quarenta e cinco anos, era sua governanta-empregada desde quando ele se mudou aos dezoito anos. Tinham intimidades de amigos, apesar dela sempre tratá-lo mais como seu empregador, por achar necessário haver o respeito e limites.

– Bom dia, Miguel. – cortava legumes na pia.

– Viu alguma asiática descendo furiosa? – brinca aos risos.

– Sim, Senhor. A Adelaide, irmã da Vilma.

– Ah, caralho! – bate com o punho na portal da cozinha. – Só pode estar de sacanagem comigo, Irina.

– O que houve? – olhou-o pelo reflexo na janela.

– Segunda vez que ela esteve aqui? E quem é Vilma?

– Foi. – virou-se de frente a ele. – Esqueceu novamente quem elas são?

– Até você nessa? – respirou fundo, mas achando graça da situação. – Quem são elas? Me conte, então. Me atualiza!

– Elas são filhas da Dona Bárbara. – voltou a lavar e cortar os legumes, sabia que aquilo era o suficiente para lembra-lo.

Silêncio. Vasculhou a memória. Bingo!

– Aquela da mesma igreja que minha mãe vai? – assustado. – Melhor amiga dela?

– Ela mesma.

– Fodeu! – esfregou o rosto com as mãos. – Agora já sei o que meu pai quer conversar comigo. – acendeu seu cigarro filtro vermelho. – Quando foi que essa Vilma esteve aqui?

– Semana passada.

– Fodeu grandão!

Anúncios