Leugim: 07 – Genética é foda! (Parte 1)

Por volta das nove horas Helen e Olívia acordaram e encontraram os dois dormindo nus no chão perto da piscina. Miguel todo esparramado com Eduarda deitada com a cabeça em sua barriga. Helen pousou o pé na região do umbigo dela e esfregou, tentando acordá-la. Apenas jogou o corpo para o outro lado. Sua cabeça saiu da barriga-travesseiro de Miguel e se chocou com o chão. Doeu só em quem assistiu à cena. Olívia pegou uma das garrafas vazias, encheu pela metade na piscina e jogou em seu rosto. Nada.

– Porra. Ela está dopada. – diz perplexa.

– Vamos ver o Miguel. – diz Helen pousando o pé em sua parte íntima.

Conseguiu apenas uma ereção. Entreolharam-se.

– Já que não tem nada pra fazer… – Olívia dá de ombros desistindo de acordá-los. – Fazer o quê, né?

– Dar bom dia pro Miguel Junior!

Longos minutos depois, Miguel acorda com enorme sorriso de satisfação pelo sonho erótico que estava tendo. Quando levanta a cabeça, se depara com as duas “brincando” com ele.

– Definitivamente não existe forma melhor para me acordar! – finca os lábios, excitado. – Bom dia pra vocês também. – fecha os olhos e pousa a cabeça de volta ao chão, curtindo o momento.

– Demorou, mas acordou. – Olívia comenta antes de se erguer. Helen a acompanha.

– Ah, acabou? – força tom triste de desapontado.

– Nós precisamos ir embora, Miguel. – anuncia Helen.

Ele olha o relógio. Nove e dezesseis:

– E o que as impedem de ir?

– Esqueceu que viemos de carro com ela. – e aponta para Eduarda.

– Bem lembrado. Bom… – se espreguiça no chão grunhindo e se esticando todo. – Essa aí é uma pedra quando dorme. – pega no braço de cada uma e se impulsiona a levantar. – Mas eu sei o atalho.

– Que atalho? – pergunta Helen.

– Pra acordá-la. – agacha e sem cuidado algum a suspende em seus braços. – Um banho bem gelado. – e a joga na piscina.

– Está louco? – Olívia grita, mas era tarde.

– Ela vai se afogar e não vai acordar. – diz Helen aos risos vendo a amiga se debatendo no fundo da piscina.

E então Eduarda emerge com os olhos arregalados, vermelhos e a respiração ofegante.

– Miguel, seu filho da puta! – grita.

– Aprenderam? É a segunda vez que a acordo assim. – Miguel assume, satisfeito com o plano.

Eduarda se arrumou, as três se despedem dele e vão embora. No freezer, abre e faz as contas. Tirou uma long neck, abriu e sentou-se à mesa onde estava o notebook. Conferiu o calendário. Quarta-feira, treze de março. Conectou-se a sua rede wi-fi. Entrou em seu perfil no Facebook e minimizou. Preparou outra playlist para tocar e começou com Immigrant Song da banda Led Zeppelin. Voltou à rede social e conferiu suas mensagens, notificações e etc. Das diversas janelas de bate-papo que se abriram, uma lhe chamou a atenção. A linda mulher que ele não se lembrava desde quando a tinha no Facebook nem como se conheceram.

Jully Mendes: Bom dia, Miguel. Td bom?

Antes de responder, entrou em seu perfil e conferiu. Trabalhava como modelo em uma agência conhecida no Rio de Janeiro, morava no Centro e tinha vinte anos. Um amigo em comum: Eduarda.

Miguel dos Anjos: Bom dia, estranha. De onde nos conhecemos?

Jully Mendes: Ainda ñ nos conhecemos. Eu t add na semana passada e me aceitou anteontem. Achei no perfil da Duda.

Miguel dos Anjos: É. Vi aqui que é a nossa amiga em comum.

Jully Mendes: Ela até me chamou pra ir à festa q teve aí ontem, mas como tinha ensaio fotográfico hj, achei melhor deixar pra próxima oportunidade. Tipo hj. Sabe? kkkkk.

Miguel dos Anjos: Elas e as outras saíram daqui não tem nem meia hora.

Jully Mendes: Ah, elas já foram? Estava pensando em passar aí dps das fotos.

Miguel dos Anjos: Acordamos agora, pois a Hellen e Olívia tinham que ir embora. Mas, elas precisam estar aqui pra você fazer uma visita?

Jully Mendes: Isso é um convite?

Miguel dos Anjos: Se quiser pode até ser uma intimação. O que preferir. Hahaha.

Jully Mendes: kkkkk. Pode ser.

Miguel dos Anjos: Pode to be, então?

Jully Mendes: Qual seu endereço?

Passou-lhe.

Jully Mendes: O ensaio é às 13h. Saio de lá direto aí pra sua casa. Tá?

Miguel dos Anjos: Combinado! Você bebe?

Jully Mendes: Só quente, drinques e essas coisas q ñ dão barriga. Kkkkk.

Miguel dos Anjos: Beleza. Tem aqui. Tá tranquilo. Vou sair, tenho que fazer umas ligações. Lhe aguardo mais tarde.

Jully Mendes: Até daqui a pouco.

Fechou a página e foi até o freezer. Pegou outra long neck e voltou para o notebook. Entrou no painel administrativo do Prazer Angelical. Conferiu o número de visitas que recebeu na segunda e na terça, e o número de créditos comprados. Abriu a caixa de e-mail, olhou e respondeu os mais importantes. Levantou, preparou copo de uísque e foi a caminho da porta de casa.

No quarto, pegou seu celular e voltou. No caminho da escada até a porta, gritou para Irina perguntando o que teriam para o almoço. Pato assado. Assim que cruzou a porta ligou para o pai.

– Fala filho.

– Como vai?

– Bem. Eu ia te ligar depois do almoço. Vou tirar o dia de folga hoje pra gente tomar umas e terminar a conversa.

– E dona Fabíola sabe disso? – pergunta aos risos.

– Lógico que não. Pra ela eu irei a uma reunião importante em São Paulo e volto de madrugada… É que sua mãe acha que eu só bebo nos finais de semana e eu prefiro manter assim.

– Entendi. E como será? Vai passar aqui, vamos nos encontrar em algum lugar ou o quê? Qual é da parada?

– Posso passar aí.

– Beleza. Tem bastante cerveja e quente que sobrou de ontem.

– Mais uma das suas festinhas particulares diárias?

– Sempre! Por que não vem pra almoçar? A Irina está preparando pato assado.

– Pato assado? É uma delícia. Vou dar um “S” na sua mãe e já estou indo. Vou dizer que preciso sair mais cedo.

– Tudo bem.

Anúncios